domingo, 3 de maio de 2009

A história da vida da couve Maria

Tudo começou com o "Big-Bang", e após a evolução de muitos giga anos, nasceu a Couve Maria. A sua história podia ser comum à história de muitas outras couves, não fosse o facto de ter sido criada numa horta biológica com vista para o mar.

De cada semente, com pouco mais de 1mm de diâmetro, nasceu uma couve, entre elas a Maria que, com rega frequente a alguma ajuda do clima, foi crescendo. Quando as suas folhas atingiram aproximadamente os 3-4cm, foi transferidas da incubadora (alfobre) para a terra livre, juntamente com mais irmãs:



De seguida passou pela fase da adolescência, fase em que o rápido crescimento era notório de semana para semana. Nunca sentiu falta de liberdade, tinha crescido num espaço com um campo de visão de luxo, na encosta de um monte virado a sul, com vista para o mar e, por vezes, para o cabo Espichel...teve uma adolescência sem problemas!




Passou pela fase dos piolhos, das lagartas, mesmo assim era feliz, pois os seus cuidadosos pais adoptivos, não a agrediam com produtos quimicos e eficazes, e em vez disso, arranjaram fórmulas biológicas para lhe tratarem das doenças. Quando ela tinha lagartas a comerem-lhe as folhas, os pais tiravam-nas uma a uma, criando assim uma ligação mais próxima com a couve Maria e com as irmãs.
Pelo natal, os seus tratadores, precisaram das suas folhas para preparar a ceia de natal com as famílias, e nessa altura ela sentiu que seria essa a missão para a qual tinha nascido: fornecer alimento a quem cuidar dela.
Após um Janeiro e Fevereiro chovosos, foi desenvolvendo grelos que lhe cresciam entre o caule e as folhas, continuando assim a fornecer alimento.
Com o calor de Março, começou a espigar e a ganhar flor...



...nessa altura fez muitas amizades com abelhas que lhe iam tirar o pólen para fazer mel...é uma couve generosa!
Quando a flor começou a perder as pétalas, dentro dela, começaram a nascer as vagens com as sementes: ia ser mãe!
Passados dois meses, a Couve Maria começou a secar: estava a ficar velha...nas suas vagens secas, os filhotes já estavam prontos a saír, para darem continudade à família, os pacientes donos recolheram as suas sementes, para darem origem a uma nova geração de Couves.

Nota: a couve Maria não foi insensivel ao esforço que os seus pais adoptivos tiveram para lhe dar àgua...era justo tirarem-lhe as folhas!


...e viveram todos felizes para sempre...excepto a couve Maria, que morreu no parto :-P

Sem comentários:

Publicar um comentário