terça-feira, 26 de outubro de 2010

Como fazer uma horta portátil?



Um dos microshops do Evento Fermento: Cidades em Crescimento que nos chamou a atenção, foi uma sessão dinamizada pela Associação para a Valorização Ambiental da Alta de Lisboa, que ensinava todos os participantes a construir hortas portáteis! Não só tivemos oportunidade de nos dividir em grupos para construir uma horta portátil como pudemos perceber as vantagens de ter uma horta portátil de estimação. A AVAAL tem como objectivo da sua acção dinamizar e promover a construção de hortas portáteis entre os habitantes da Alta de Lisboa.

Antes de explicar como fazer uma horta portátil, será útil perceber as vantagens de tal coisa. Imaginem que querem ter um pequeno reservatório de ervas de cheiro em casa, para dar sabor aos cozinhados que, não variando se podem tornar repetitivos e cinzentões. Se essa mini-horta estiver sempre no mesmo sítio, pode ser complicado dar-lhe a exposição solar necessária! Com uma horta portátil podem facilmente mover as vossas ervas de cheiro de um lado para o outro da casa, aproveitando a luz da manhã e da tarde. Uma outra utilidade pode ser o controlo e combate de pragas. Sabendo que certas ervas de cheiro podem atrair ou afastar pragas indesejáveis, será útil ter sempre um batalhão de hortas portáteis à mão na nossa horta ao ar livre, assim podemos mover os nossos batalhões para as zonas mais afectadas, controlando melhor a acção das pragas e mantendo as nossas couves e alfaces saudáveis, uma espécie de xadrez orgânico! Falo de ervas de cheiro mas é possível plantar alfaces e couves, por exemplo, ou mesmo até morangos. De resto, rosmaninho, cebolinho, manjericão, salsa, coentros, sálvia, hortelã, menta, caril, etc. etc!

De que material precisamos para fazer, por exemplo, uma horta portátil de cheiros? Pouca coisa:

- Um vaso de cerâmica ou, melhor, um balde de tinta sem vestígios de tinta, porque tem pega para transportar, com buracos no fundo (não convém usar plástico, porque o plástico acaba sempre por afectar a qualidade da terra a curto / médio prazo;

- Um prato ou base para meter a horta portátil em cima;

- Terra biológica, sem aditivos (o suficiente para encher o recipiente, já se começa a encontrar em muitos viveiros por esse país fora);

- Algum material drenante (tijolos, gravilha, pedras pequenas, pedaços de telhas ou até cartão! Em qualquer dos casos os pedaços deverão ter no máximo uns 4 cms de largura diâmetro, para não caírem pelo fundo do vaso);

- Os pés que se pretende plantar (gostas de fazer assados e massas? Rosmaninho, cebolinho, alecrim e mangericão, por exemplo).

Como fazer?

- Antes demais, estender um plástico no local onde vão estar a preparar a horta, porque é um trabalho que suja bastante...

- Colocar o material drenante no fundo do recipiente (se comprarem um vaso de cerâmica, ele deve vir previamente furado - Se usarem uma lata de tinta terão de furar o fundo em vários locais, isto serve para garantir que a água da rega não se acumula no fundo do recipiente, começando aí a apodrecer comprometendo a qualidade da terra e estragando a horta). O material drenante deve preencher o fundo do recipiente e criar uma camada que ajuda a escoar a água, que sairá pelos buracos do fundo. Ou seja, o objectivo é que a rega sirva para humedecer a terra, não para a afogar!

- De seguida pode-se colocar logo terra, até ocupar dois terços da altura do recipiente. Não encham logo até cima, porque senão é mais difícil dispor as plantas como acharem melhor. O aspecto da vossa horta deve ser este:




- Depois disponham as plantas como quiserem, todas juntas ou separadas. Podem até criar padrões ou fazer jogos com relevo, deixando as ervas maiores ao centro e as mais baixas no rebordo, fazendo uma espécie de pirâmide.

- Depois de colocados os pés, encher o resto do recipiente com terra até preencher o espaço que sobrou! e...

... já está! Simples e rápido. Uma nota apenas: com o passar do tempo e com as regas consecutivas, a terra tornar-se-á mais compacta e irá assentando. Nessa situação deverão colocar mais terra. Podem também ajudar a vossa horta colocando composto orgânico ou fertilizante orgânico. No caso deste segundo, o elevado preço não justifica os resultados, conseguem-se resultados esplêndidos de maneira perfeitamente natural! Devem regar a vossa horta com regularidade, de forma a que a terra esteja sempre húmida.

As possibilidades são imensas, há até quem já tenha cultivado cogumelos silvestres em despensas escuras... Saboroso, não?

Miguel Paisana

Sem comentários:

Publicar um comentário